Mandinga minha

Me diga preto velho
Foi do tempo da senzala
Eu vou ficar sentado só pra poder te escutar
Tira a corda do pescoço
E bota no abadá
Chicotada nas costas estora que eu vou contar

Mandinga minha, mandinga rara
vou a igreja, vou orar pra maria

Mandinga minha, mandinga rara

Pulando a noite esperando o sol raiar

Mandinga minha, mandinga rara

Só o guerreiro que viveu pode contar

Mandinga minha, mandinga rara

Solta a mandinga menino para jogar

Mandinga minha, mandinga rara

Agachado ao berimbau
Eu faço saudação
Eu olho para o ceu a Deus eu peço proteção
Antes de sair pro jogo
Mestre de permissao
E a cada cantiga um aperto no coraçao

Mandinga minha, mandinga rara
vou a igreja vou orar pra maria

Mandinga minha, mandinga rara

Pulando a noite esperando o sol raiar

Mandinga minha, mandinga rara

Só o guerreiro que viveu pode contar

Mandinga minha, mandinga rara

Solta a mandinga menino para jogar

Mandinga minha, mandinga rara

Não assuste ó seu moço
Não é uma sombração
Coisa da mandinga de botar a mão no chao
A resenha que eu tenho
O ouvido que me dá
E eu vivo o meu mundo na cadeira a balançar

Mandinga minha, mandinga rara
Vou a igreja vou orar pra maria

Mandinga minha, mandinga rara

Pulando a noite esperando o sol raiar

Mandinga minha, mandinga rara

So o guerreiro que viveu pode contar

Mandinga minha, mandinga rara

Solta a mandinga menino para jogar

Mandinga minha, mandinga rara

Ja ta feito ja ta feito
Falado é papo reto
Pra soltar seu jogo ou ficar igual concreto
Quando ele pega o gunga do meu mestre vou falar
Ele ta jogano a perna só de olhar

Mandinga minha, mandinga rara
Vou a igreja vou orar pra maria

Mandinga minha, mandinga rara

Pulando a noite esperando o sol raiar

Mandinga minha, mandinga rara

So o guerreiro que viveu pode contar

Mandinga minha, mandinga rara

Solta a mandinga menino para jogar

Mandinga minha, mandinga rara